2º Ciclo de Webconferências APEI (4)

SEMINÁRIO 4 - 12 de março
Perspetivas e Práticas Pedagógicas na Educação Pré-Escolar
12 de março
online (Zoom) - das 14:15 às 17:30 horas

Escolha uma opção:

15.00

Dia 12 de março - Práticas inovadoras na Catalunha

  • 14:15

    Una escuela en constante transformación

    David Altimir, Escuela les Pinediques, Taradell, Barcelona, España

  • 15:15

    Trabajar por proyectos más allá de Infantil – una escuela abierta a su entorno

    Mar Hurtado, Escuela El Roure Gros, Santa Eulalia de Riuprimer, Barcelona, España

  • 16:30

    Los juguetes son de niñas o de niños? Una experiencia sobre la perspectiva de género

    Marta Guzman, Escuela Rural de Rellinars, Barcelona, España

Numa iniciativa conjunta com a Câmara Municipal da Maia, a APEI organiza o 2º Ciclo de Webconferências “Perspetivas e Práticas Pedagógicas na Educação Pré-Escolar”, uma extraordinária viagem que decorrerá durante 12 horas, distribuídas em 4 sábados, que envolve um conjunto de conferencistas nacionais e internacionais de referência, em que se irá abordar a utilização dos materiais de fim aberto (Loose Parts), se conhecerão propostas pedagógicas da Educação na Natureza, a abordagem Reggio Emilia, a arte e ciência na Educação Pré-Escolar, a organização pedagógica inovadora em jardins de infância catalãos e as questões do género em brinquedos na educação de infância.

O 2º Ciclo de Webconferências “Perspetivas e Práticas Pedagógicas na Educação Pré-Escolar” foi acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (Registo de Acreditação CCPFC/ACC-111690/21), com 12 horas na componente científico-pedagógica para a Educação Pré-Escolar (grupo de recrutamento 100) aos participantes que cumpram os requisitos estipulados ao nível da assiduidade e avaliação.

DOWNLOAD DO PROGRAMA

PROGRAMA DOWNLOAD (english)

RESUMO DAS CONFERÊNCIAS

Dia 29 de janeiro

  • Creating a Culture of Inquiry with loose Parts – Miriam Beloglovsky – Esta conferência orientará os participantes a aplicar conhecimentos educativos e de design ao fazer curadoria e aplicação de peças soltas para maximizar a aprendizagem das crianças. Os participantes aprenderão o valor das peças soltas, descobrirão como recriar as peças soltas utilizando diferentes lentes para explorar as possibilidades que as peças soltas oferecem às crianças, e como estabelecer convites para brincar que promovam a investigação. This lecture will guide participants to apply educational and design knowledge when curating and infusing loose parts to maximize children’s learning. Participants will learn the value of loose parts, discover how to curate the loose parts utilizing different lenses to explore the affordances the loose parts offer children, and how to set play invitations that promote inquiry.
  • (Re)inventar ou explorar. A importância das práticas criativas – Silvia Berény & Tânia Vieira – Pensando nesta hipermodernidade mutante que carateriza a nossa atualidade, percebemos que é evidente a relação dialógica e quase simbiótica que as dimensões presente e futuro estabelecem entre si. A especificidade dessa relação leva-nos a repensar, uma vez mais, o processo educativo e seu significado.
    Neste sentido, a questão da organização do ambiente educativo, mais especificamente, dos seus espaços e materiais, torna-se primordial na discussão e reflexão sobre a nova construção do mundo e, no caso da educação da primeira infância, das práticas educativas das nossas escolas.
    Situando-se, numa perspetiva socio construtivista, a OSMOPE/Movimento das Pontes Educativas considera interessante resgatar na história da pedagogia e da Arte Contemporânea alguma inspiração, para fundamentar a utilização de materiais de potencialidades múltiplas (ditos não estruturados) nos nossos espaços educativos. A utilização deste tipo de material em contexto educativo permite-nos resistir aos estereótipos comerciais da maioria dos materiais fabricados ou desenhados para aliciar ao consumo desinteressante e, por vezes, até contraditórios face às reais necessidades das crianças.
    Com esta comunicação, convidamos o público a visualizar e discutir sobre algumas das nossas vivências e práticas nesta área, convocando a apreciação estética, a criatividade e a exploração sensorial e lúdica respeitando a identidade cultural de cada um, tendo em conta a preservação do que é considerado “natural” e determinante para a nossa sustentabilidade futura.  Thinking about this mutant hypermodernity that characterizes our present time, we realize that the dialogic and almost symbiotic relationship established between the present and future dimensions is evident. The specificity of this relationship leads us to rethink, once again, the educational process and its meaning.
    In this sense, the issue of organizing the educational environment, more specifically, its spaces and materials, becomes paramount in the discussion and reflection on the new construction of the world and, in the case of early childhood education, of the educational practices of our schools.
    From a socio-constructivist perspective, OSMOPE/Educational Bridges Movement considers interesting to rescue some inspiration from the history of Pedagogy and Contemporary Art to support the use of materials with multiple/unstructured potential in our educational spaces. The use of this type of material in an educational context allows us to resist the commercial stereotypes of most materials manufactured or designed to entice consumption that is uninteresting and, at times, even contradictory to the real needs of children.
    With this communication, we invite the public to view and discuss some of our experiences and practices in this area, calling for aesthetic appreciation, creativity and sensory and playful exploration, respecting the cultural identity of each one, taking into account the preservation of what is considered “natural” and determinant for our future sustainability.

 

Dia 12 de fevereiro

  • The Sky Above and the Mud Below: Lessons from Nature Preschools and Forest Kindergartens – David Sobel – Ufa! Que longa e estranha viagem esta pandemia tem sido. E durante essa viagem, muitos programas para a primeira infância e escolas primárias na América do Norte aprenderam que a aprendizagem ao ar livre era fixe. Mantinha os alunos mais saudáveis, mais activos fisicamente e mais empenhados na escola. Olharam e aprenderam com os educadores que tinham vindo a fazer isto durante décadas. Muitas dessas histórias de inovação ao longo da última década são capturadas no novo livro de David, O Céu Acima e a Lama Abaixo. Ele partilhará algumas dessas histórias recolhidas em todo o território dos Estados Unidos. Desde a procura de ouro pirata a grandes brocas de animais, passando pelo canto à chuva, até à alfabetização e matemática ao ar livre, David partilhará práticas convincentes que pressagiam o futuro da educação baseada na natureza.  Whew! What a long, strange trip this pandemic has been. And during that trip, lots of early childhood programs and elementary schools in North America learned that outdoor learning was cool. It kept students healthier, more physically active and more engaged in school. They looked to and learned from the educators who had been doing this for decades. Lots of those stories of innovation over the past decade are captured in David’s new book, The Sky Above and the Mud Below. He will share some of those stories collected from around the United States. From searching for pirate gold to big animal drills to singing in the rain to literacy and math outdoors, David will share compelling practices that presage the future of nature-based education.
  • GET OUT! – Claus Jensen – Na Dinamarca, existe um grande número de jardins de infância da floresta, onde as crianças permanecem na floresta de manhã à noite durante todo o ano. Na apresentação irá conhecer vários jardins de infância da floresta, mas também centros mais tradicionais, onde tentam entrar mais na natureza nas florestas ou parques próximos. O enfoque é nas crianças em ambientes físicos que se encontram fora dos parques infantis tradicionais, etc. Na apresentação, haverá também atenção às experiências dos colaboradores (educadores e auxiliares) de estarem sempre ao ar livre com as crianças.  In Denmark, there are a large number of forest kindergartens, where children stay in the forest from morning to evening all year round.In the presentation you will meet a number forest kindergartens, but also more traditional centres where they try to get more into the nature in the nearby forests or parks.The focus is on children in physical settings that are outside the traditional playgrounds, etc. In the presentation, there will also be attention to the employees’ experiences of being so much outside with the children.
  • A Natureza é a melhor sala de aula – Mónica Franco – A Natureza é rica, diversa e está em constante mutação proporcionando experiências de aprendizagem não formal, emocionais e divertidas e preparam as crianças para a vida futura e todos os desafios que lhes possam surgir, expondo-as a riscos que trazem sempre benefícios.
    A natureza dá-lhes a oportunidade de aprenderem a ser resilientes, de se auto-regularem, de gerirem riscos, de se saberem adaptar às circunstâncias e adversidades da vida.  Nature is rich, diverse and constantly changing, providing non-formal, emotional and fun learning experiences and preparing children for the future life and all the challenges that may arise, exposing them to risks that always bring benefits. Nature gives them the opportunity to learn to be resilient, to self-regulate, to manage risks, to know how to adapt to life’s circumstances and adversities

 

Dia 19 de fevereiro

  • The Fundamentals of the Reggio Emilia Approach – Mirella Ruozzi – A Abordagem Reggio Emilia® é uma filosofia educacional baseada na imagem de uma criança com fortes potencialidades de desenvolvimento e de um sujeito com direitos, que aprende através das cem línguas pertencentes a todos os seres humanos, e cresce nas relações com os outros. Este projecto educativo, que se tornou um ponto de referência em todo o mundo, desenvolve-se e renova-se todos os dias nos centros municipais de Reggio Emilia infanto-juvenil e jardins de infância. Um manifesto da Abordagem de Reggio Emilia é o poema escrito por Loris Malaguzzi, “Nem pensar”. The Hundred is There”, um poema que exprime a ideia de criança no centro desta abordagem educacional – uma criança equipada com 100 línguas. As cem línguas são uma metáfora dos extraordinários potenciais das crianças, dos seus processos de construção de conhecimento e criatividade, das inúmeras formas com que a vida se manifesta e o conhecimento é construído. A abordagem educacional e os conceitos subjacentes a esta experiência educacional serão partilhados ao longo de uma narrativa que ilustra os processos de aprendizagem das crianças em idade pré-escolar (3-6). The Reggio Emilia Approach® is an educational philosophy based on the image of a child with strong potentialities for development and a subject with rights, who learns through the hundred languages belonging to all human beings, and grows in relations with others. This educational project, which has become a reference point throughout the world, develops and renews each day in Reggio Emilia’s municipal infant-toddler centres and preschools. A manifesto of the Reggio Emilia Approach is the poem written by Loris Malaguzzi, “No way. The Hundred is There”, a poem voicing the idea of child at the centre of this educational approach – a child equipped with 100 languages. The hundred languages are a metaphor for the extraordinary potentials of children, their knowledge-building and creative processes, the myriad forms with which life is manifested and knowledge is constructed. The educational approach and the concepts that underlie this educational experience will be shared along a narrative that illustrates the learning processes of preschoolers (3-6).
  • Creating a Reggio-Inspired STEM Environment for Young Children – Vicki Carper Bartolini – Nesta era da COVID, a educação STEM assumiu ainda mais importância à medida que nos esforçamos por desenvolver cidadãos alfabetizados STEM que podem usar as suas capacidades de pensamento crítico para analisar dados para tomar decisões cuidadosamente informadas. A Doutora Bartolini discutirá os direitos das crianças a envolverem-se maravilhadas, tendo por base investigações e estudos STEM.  Esta abordagem está associada a uma discussão sobre os direitos dos educadores de infância a serem apoiados na criação de ambientes de aprendizagem STEM maravilhosos para todas as crianças. Inspirada pelas suas viagens de estudo a Reggio Emilia e subsequente trabalho com educadores de infância e professores de STEM, a Dra. Bartolini delineará elementos que considera essenciais no desenvolvimento de tais ambientes mágicos, incluindo as mensagens e valores do ambiente educativo, a flexibilidade de tempo e espaço, a escolha intencional de materiais, a estética e o papel do educador.  Fundamental para este workshop é também uma discussão dos “6Cs” descritos em “Becoming Brilliant” por Golinkoff e Hirsh-Pasek, tal como se aplicam ao ambiente STEM da primeira infância. In this era of COVID, early care and education STEM education has taken on even more importance as we strive to develop STEM literate citizens who can use their critical thinking skills to analyze data to make carefully informed decisions. Dr. Bartolini will discuss the rights of children to engage in wonderous, inquiry-based and playful STEM investigations and studies.  This is coupled with a discussion of the rights of early childhood educators to be supported in creating wonderous STEM learning environments for all children. Inspired by her study trips to Reggio Emilia and subsequent work with early childhood educators and teacher educators in STEM, Dr. Bartolini will outline elements she considers essential in developing such magical environments, including the messages and values in the environment, the flexibility of time and space, the intentional choice of materials, aesthetics, and the role of the teacher.  Integral to  this workshop is also a discussion of  the “6Cs” described in Becoming Brilliant by  Golinkoff and Hirsh-Pasek as they apply to the early childhood STEM environment.

 

Dia 12 de março

  • Trabajar por proyectos más allá de Infantuil – una escuela abierta a su entorno – Mar Hurtado – Uma escola pode abrir as suas portas ao ambiente e tirar partido dele para enriquecer a sua aprendizagem. A situação vivida pela covid mostrou-nos que trabalhar ao ar livre significa um contacto saudável com a natureza e possibilidades muito interessantes.
    O trabalho do projecto é possível para além do jardim-de-infância, exemplos de como esta metodologia continua a ser a base para a aprendizagem na escola primária. Una escuela puede abrir sus puertas al entorno y aprovecharlo para enriquecer sus aprendizajes. La situación vivida por la covid nos ha demostrado que trabajar en el exterior supone un contacto con la naturaleza sano y unas posibilidades muy interesantes. Trabajar por proyectos más allá de infantil es posible, ejemplos de cómo esta metodología sigue siendo la base para aprender en primaria. A school can open its doors to the environment and take advantage of it to enrich its learning. The situation experienced by covid has shown us that working outdoors means healthy contact with nature and very interesting possibilities. Project work is possible beyond kindergarten, examples of how this methodology continues to be the basis for learning in primary school.
  • Los juguetes son de niñas o de niños? Una experiencia sobre la perspectiva de género – Marta Guzman – A experiência aqui apresentada foi realizada com o grupo de educação pré-escolar (com raparigas e rapazes de 3, 4 e 5 anos de idade) da escola rural de Rellinars, que se situa num pequeno município perto de Barcelona. A nossa intenção era reflectir sobre a perspectiva de género a partir de um ponto de vista experiencial e próximo, pelo que o nosso ponto de partida foram os brinquedos e a brincadeira que foi gerada. La experiencia que se presenta se realizó con el grupo de educación infantil (con niñas y niños de 3, 4 y 5 años) de la escuela rural de Rellinars, que está situada en un pequeño municipio cerca de Barcelona. Nuestra intención era reflexionar sobre la perspectiva de género desde un punto de vista vivencial y cercano, así que nuestro punto de partida fueron los juguetes y el juego que se generabaThe experience presented here was carried out with the pre-school group (with girls and boys aged 3, 4 and 5) at the Rellinars rural school, which is located in a small municipality near Barcelona. Our intention was to reflect on the gender perspective from an experiential and close point of view, so our starting point was the toys and the play that was generated.
  • David Altimir

  • Mar Hurtado

    Educadora de infância e professora do 1º ciclo do ensino básico.
    Atualmente, professora e membro da equipa de gestão da escola, “El Roure gros” em Santa Eulàlia de Riuprimer. Vic, Barcelona.
    É membro do conselho editorial da revista Infància de Rosa Sensat.

    Maestra de infantil i primaria.
    Actualmente, maestra i miembro del equipo directivo de la escuela, “EL Roure gros” de Santa Eulàlia de Riuprimer. Vic, Barcelona.
    Formo parte del consejo de redacción de la revista Infància de Rosa Sensat 

    Infant and primary school teacher.
    Currently, teacher and member of the management team of the school, “El Roure gros” in Santa Eulàlia de Riuprimer. Vic, Barcelona.
    I am a member of the editorial board of the magazine Infància de Rosa Sensat. 

  • Marta Guzman

    Marta Guzman é uma educadora de infância e psicóloga educacional. Trabalha actualmente na escola pública de Rellinars (Barcelona) com crianças de 3, 4 e 5 anos. É co-responsável pela revista Children in Europe Today (https://www.rosasensat.org/revistes/infancia-europa/) e tem sido responsável pela formação e membro da equipa de gestão da Associação de Professores Rosa Sensat. Escreveu várias publicações e dá formação e consultoria a equipas de professores e escolas.

    (Marta Guzman es maestra de educación infantil y psicopedagoga. Actualmente trabaja en la escuela pública de Rellinars (Barcelona) con niños y niñas de 3, 4 y 5 años. Es corresponsable de la revista Children in Europe Today (https://www.rosasensat.org/revistes/infancia-europa/) y ha sido responsable de formación y miembro del equipo de gestión de la Asociación de Maestros Rosa Sensat. Ha escrito diversas publicaciones y realiza formaciones y asesoramientos a equipos de maestros y escuelas.)

    https://agora.xtec.cat/ceiprellinars/